Futebol

Ato Solene marca as comemorações dos 96 anos da Portuguesa

O espírito de união para recolocar a Portuguesa de volta aos holofotes do futebol mundial foi o principal foco do ato solene realizado na manhã deste domingo, no Átrio Cívico, localizado na parte social do estádio Doutor Oswaldo Teixeira Duarte, pela comemoração dos 96 anos da Associação Portuguesa de Desportos. Em sua declaração aos presentes, o presidente da Diretoria Executiva, Dr José Luiz Ferreira de Almeida, enalteceu os feitos pela atual gestão para honrar os seus compromissos e ajudar na reconstrução do Clube.

“Estou trabalhando todos os dias junto com a minha diretoria em busca de dinheiro, principalmente. Nenhuma entidade vive sem cumprir com os seus compromissos e estamos tentando e lutando para que todos os compromissos da Portuguesa sejam cumpridos. (…) Eu me sinto extremamente honrado de estar aqui como presidente da Portuguesa no seu 96° aniversário com uma situação que não é das melhores, mas que demonstra que o futuro será promissor”, afirmou.

(Foto: Dorival Rosa/Portuguesa)

(Foto: Dorival Rosa/Portuguesa)

O evento contou com a presença de mais de 100 pessoas, entre autoridades do Estado e da comunidade portuguesa, além de representantes da Federação Paulista de Futebol, diretores do Clube, conselheiros e torcedores, e também da participação da Banda da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo. O ex-presidente da Portuguesa, o Deputado Federal Arnaldo Faria de Sá, ressaltou a importância da união dos seus adeptos para a reconstrução da instituição.

“Tenho certeza que esses poucos que ainda restam, se nós nos juntarmos iremos buscar as soluções de todos os problemas e acredito que o 96° aniversário da Portuguesa é comemorado com muita alegria e com muita satisfação. Vamos nos preparar para um ano muito melhor e para o centenário da Portuguesa. (…) O Brasil está em um momento muito importante no esporte e a Portuguesa faz parte deste momento”, completou.

A solenidade teve início com o hasteamento das bandeiras e a execuções dos Hinos Nacionais Brasileiro e Português, além do hino da Associação Portuguesa de Desportos. O presidente do Conselho das Comunidades Luso-Brasileira, Dr Antonio de Almeida e Silva, citou as dificuldades enfrentadas pelos imigrantes portugueses ao chegarem para o Brasil e a identidade do Clube com a colônia rubro-verde.

“Temos uma escritora estruturalmente lusíada, Agostina Bessa, que dizia: ‘O futuro que nos vale é o passado que nos honra’ e esta associação tem um passado tão glorioso que não admite que a gente não tenha a esperança de recuperação. A vida de nossa imigração foi essa, feita de sacrifícios, recuperação e superação. E nós hoje temos que ter isso em mente. É momento de reflexão, mas é o momento da esperança, de acreditarmos nos portugueses que nunca esmoreceram”, finalizou.