Futebol

Em julgamento no STJD, feminino é apenas multado e acesso ao Brasileiro é garantido

Em julgamento realizado na tarde desta segunda-feira (24), na sede do Supremo Tribunal de Justiça Desportiva- STJD, a equipe de futebol feminino da Lusa teve a denúncia de escalação irregular desclassificada e convertida para o artigo 191 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva e multada em R$ 1 mil.  A suposta infração foi identificada após a partida da semifinal do Campeonato Brasileiro da Série A2, contra a equipe do Tiradentes, realizada no dia 5 de julho quando houve a entrada em campo da atleta Thalita Araújo Soares.

Defendida no processo pelo advogado Marcio Andraus, a Lusa pode reforçar a tese que não houve escalação irregular. “O artigo 214 fala em incluir na equipe atleta sem condição e jogo. A atleta não tinha suspensão por motivo algum, está registrada e foi titular na última partida e a DCO em nenhum momento informou alguma irregularidade.  A defesa está comprovando que ela tinha condição de jogo. A súmula foi preenchida de forma equivocada pelo árbitro e a condição e jogo está comprovada. Não se pode falar em artigo 214. A Portuguesa venceu pelo agregado de resultados e não há motivos para mudar a decisão de campo”.

Além da defesa oral, a Lusa  apresentou prova documental com documentação entregue para a imprensa na partida em questão e nas demais partidas que a atleta atuou, além da cartoneira onde constam o documento de todas as atletas do clube e que é apresentada para a arbitragem antes de todos os jogos e cópia das atletas da Portuguesa inscritas no BID da CBF.

Após sofrer derrota por 2 x 1 do Pinheirense, no primeiro jogo da final do brasileiro, em jogo realizado na última quarta-feira (19), no Canindé, a Lusa vai com tudo em busca do caneco contra a equipe paraense nesta próxima quarta-feira (26), em Belém do Pará, a partir das 17h.